Casinha Pequenina

Um rico fazendeiro, na época do Brasil Império, é chantageado por uma dama. Para se livrar dela, envolve os pobres colonos em trama diabólica.
1º rolo: Século XIX (bastante estilizado). Chico, colono de bom coração, casado, pai de dois filhos, procura proteger os escravos maltratados pelo feitor Pulso de Ferro. Coronel Pedro, dono da propriedade, mantém escondido da mulher e dos filhos uma antiga vida de falcatruas, inclusive um assassinato. Por causa desse crime, é chantageado por Carlota que ameaça contar tudo para a sua família e polícia se o coronel não arrumar um bom casamento para sua filha Inês. O filho mais velho do coronel, Osório, defende ao lado da mãe Josefina um tratamento mais humano para os escravos, desafiando a crueldade do pai. (280,2 m)
(Ambiente rural, casebre.Casarão de fazenda: ext., int. Escravos. Cavalos.)
2º rolo: O Cel. Pedro se sentindo pressionado pelas ameaças de Carlota, arma um plano com seu fiel empregado Pulso de Ferro. Enquanto isso, Chico e o filho pequeno roubam mantimentos da dispensa da fazenda para alimentar os escravos famintos.
O coronel convida Chico para morar na fazenda e ocupar o lugar de Pulso de Ferro no trato com os escravos. (263,8 m)
(Fazenda, secagem de café, máquinas rudimentares. Casarão de fazenda: ext. Cavalos. Senzala. Escravos. Cantor negro não-identificado.)
3º rolo: A família de Chico e Bento, um amigo da casa, desconfiam de tal solicitude mas Chico prefere acreditar nas boas intenções do patrão. Este, por sua vez, articula uma mentira para Josefina: inventa que tem uma irmã que mora em Portugal e essa jamais viera ao Brasil. Carlota então, virá por alguns dias com sua filha.
Nestor e o pai providenciam a mudança para a fazenda, fato que aperta o coração de Fifica, mulher de Chico.
Bento, que vira Carlota na cidade, descobre os planos do coronel e é marcado de morte por Pulso de Ferro e seus capangas. Amigos de Bento, porém, desarticulam o golpe. (280,6 m)
(Casebre, ambiente rural. Casarão de fazenda: int. Vilarejo, igreja.Cavalos. Escravos. Região pedregosa de Itu, SP.)
4º rolo: Chico exige segurança para Bento e o Cel. Pedro a concede por princípio. Na Casa Grande, aguarda-se a chegada de Carlota. Chico mantém a defesa dos escravos. Carlota e sua filha são recebidas com honra. Como o coronel também deseja enganar a própria Carlota, Chico e Nestor são forçados a se apresentar como homens ricos da região. Nestor se apaixona por Inês e tem todo o incentivo do Coronel interessado em cumprir o trato com a chantageadora. (288,5 m)
(Casarão de fazenda: int. ext. Boiada, pasto. Escravos. Plantação. Cavalos. Ovelhas. Mazzaropi canta uma canção ao lado de Victor Gonçalves (?) e suas mulatas. Curral. Carruagem.)
5º rolo: Chico estranha a situação mas Nestor logo se incumbe de ciceronear Inês pela fazenda, impressionado com sua beleza. Carlota vê Nestor como “bom partido” para a filha. Fifica, enciumada, contribui involuntariamente para conversas de duplo sentido entre Chico e Carlota. Josefina e Osório, porém, desconfiam de algum estratagema do pai da família. Fifica pressente complicações com as duas “lambisgóias”. (282,7 m)
(Casarão de fazenda: int, ext. Casa simples. Curral, boiada. Estrebaria.)
6º rolo: Josefina percebe o “comportamento alegre” de Carlota em relação a Chico e ratifica suas más impressões sobre a “cunhada”. Carlota ameaça o coronel Pedro enquanto Nestor e Inês declaram uma paixão recíproca. Fifica critica o filho e recebe resposta enviesada. Bento, que havia sido afastado da fazenda até então, compreende a verdadeira situação ao retornar. Pulso de Ferro recebe ordens para mantê-lo sob controle absoluto. (271,8 m)
(Estrebaria. Casarão de fazenda: int., ext. Lago. Casebre. Cavalos.)
7º rolo: Bento e a filha do fazendeiro, Esther, estão enamorados sob incentivo de Chico a quem não agrada, bem como a Fifica, o casamento de Nestor com Inês. Nestor reage com violência às negativas embora Bento procure alertá-lo da falcatrua. No dia do casamento, Bento não resiste e revela toda a verdade a Chico que, auxiliado por uma mucama, interrompe a cerimônia. (272,8 m)
(Casarão de fazenda: int., ext. Casebre. Padre, cerimônia de casamento.)
8º rolo: Chico desmascara Carlota e Inês e expõe as crueldades do Coronel Pedro. Carlota, revidando ao golpe de Pedro, revela a Josefina um antigo assassinato cometido pelo marido desta e por ela presenciado. Nestor, porém, ordena a continuação do matrimônio. Carlota parte dias depois e Inês demonstra repúdio ao marido. Nestor, incomplacente, humilha o pai e a mãe no momento das tensas despedidas, depois de terem sido expulsos da fazenda pelo coronel. Um capanga, Ezequiel, apaixonado por Inês, flagra o idílio dela com Pulso de Ferro e, num acesso de raiva, a mata com um tiro. (269 m)
(Casarão de fazenda: int., ext. Carruagem. Carro de bois. Cavalos.)
9º rolo: O assassino incrimina Chico que vai preso. Fifica intercede junto ao filho e ele compreende, de súbito, o engano que cometera. Força o capanga a confessar. Chico é libertado. Uma guarnição oficial comunica ao Coronel a extinção da escravatura e exige seu recolhimento à corte onde deverá ser julgado pelo crime ora denunciado por Carlota. (251,6 m)
(Casarão de fazenda: ext. Casebre. Cela. Cavalos. Cadeia. Delegado. Vilarejo. Escravos. Soldados.)
10º rolo: Chico e Fifica retornam à casinha de origem onde, emocionados e rodeados pelos escravos agora livres e agradecidos, concedem o perdão ao filho Nestor que os abraça. (104,7 m)
(Região pedregosa de Itu, SP. Ambiente rural, casebre. Escravos.)

httpv://youtu.be/FFKuwguQAK8

Elenco

Amácio Mazzaropi

  Chico

Geny Prado

  Fifica

Roberto Duval

  Coronel Pedro

Tarcísio Meira

  Nestor

Edgard Franco

  capataz e capanga Pulso de Ferro

Guy Loup

  Esther

Luis Gustavo

  Bento

Marly Marley

  Carlota

Marina Freire

  Josefina


Astrogildo Filho • Ingrid Tomas • Abilio Marques
João Batista de Souza • Edgard de Lima • Alcides Oliveira
Durvalino de Souza • Daniel Paulo Nasser • Edson Lopes
Machadinho • Victor Gonçalves e suas Mulatas

comédia, ficção; 95 minutos; censura livre

cia produtora PAM Filmes (Taubaté, SP)
direção Glauco Mirko Laurelli
argumento Péricles Moreira e Amácio Mazzaropi
adaptação Mara Lux
roteiro Milton Amaral
diretor de fotografia Rodolfo Icsey
fotógrafo de cena Valentim Cruz
câmera Geraldo Gabriel
produção Amácio Mazzaropi e Edson Lopes
engenheiro de som Ernest Hack, Constantino Warnowsky
montagem Mauro Alice
chefe eletricista Vitalino Muratori
maquinista Martino Martini
cenografia Pierino Massenzi
chefe de costura Leonor de Almeida
maquilagem Maury Viveiros
direçãomusical/arranjos Hector Lagna Fietta
canções “A dor da saudade”, de Elpídio dos Santos, canta Mazzaropi; “Último lamento” de Elpídio dos Santos, canta Edson Lopes; “Casinha Pequenina”, de Elpídio dos Santos, arranjo da letra de José Isaú Pedro, canta Mazzaropi
continuista John Doo
sistema cor colorido Eastmancolor
filmado em 35 mm; em 24 q.
metragem 2.565,7 m
local de produção São Paulo, SP
ano de produção 1963

 

Deixe um Comentário

Museu Mazzaropi - todos os direitos reservados.